IMPLANTANDO A CULTURA DA PACIFICAÇÃO NAS ESCOLAS: UMA ABORDAGEM CONSTITUCIONAL E INTERDISCIPLINAR

Autores

  • ELIAS MARQUES DE MEDEIROS NETO
  • JULIANA RAQUEL NUNES
  • PATRÍCIA NUNES

Resumo

O presente artigo pretende explanar acerca da relevância dos projetos de extensão universitária, partindo-se da análise do projeto "Implantando a Cultura da Pacificação nas Escolas: uma abordagem interdisciplinar". Utiliza-se, como sistema de referência, a Teoria da Complexidade abordada por Edgar Morin. Valendo-se de um estudo descritivo e prospectivo embasado nas contribuições de Morin, busca-se verificar os aspectos positivos gerados nas crianças e nos pré-adolescentes por intermédio da abordagem interdisciplinar adotada com o auxí­lio dos inúmeros cursos da Universidade de Marí­lia, CEJUSC de Marí­lia, além de diversos outros colaboradores. No projeto, são abordados relevantes conteúdos para a formação dos estudantes, que passam a ter um maior contato com a disseminação do compromisso com os direitos humanos, cidadania e com o estí­mulo ao aprendizado baseado na cultura de paz e do diálogo. O projeto também realiza um trabalho com as famí­lias das crianças e pré-adolescentes participantes, buscando uma linguagem comum entre os profissionais implantadores e o ambiente familiar. Tendo ainda a perspectiva de uma comunicação sintônica, o grupo pedagógico e de funcionários escolares também recebe capacitação no âmbito biopsicossocial. Destaca-se a importância da participação das demais instituições colaboradoras, especialmente no que tange ao encaminhamento dos estudantes, quando necessário, à rede municipal de saúde e assistência social. Analisando o projeto, tem sido possí­vel notar os efeitos benéficos gerados nos alunos participantes, no que diz respeito à expansão de conhecimentos e colaboração na melhoria da interação relacional. Certifica-se, por fim, que o trabalho interdisciplinar promove prevenção e desenvolvimento.

Biografia do Autor

ELIAS MARQUES DE MEDEIROS NETO

Pós Doutor em Direito Processual Civil na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Pós Doutor em Democracia e Direitos Humanos, com foco em Direito Processual Civil, na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra/Ius Gentium Conimbrigae. Doutor e Mestre em Direito Processual Civil pela PUC/SP. Professor Doutor de Direito Processual Civil no Curso de Mestrado e Doutorado na Universidade de Marilia - Unimar. Professor Doutor Coordenador da Especialização em Direito Civil e em Direito Processual Civil da Fadisp. Professor Colaborador na matéria de Direito Processual Civil em cursos de Pós Graduação e Atualização. Professor Doutor de Direito Processual Civil na graduação da EBD. Advogado. Universidade de Marí­lia – UNIMAR.

JULIANA RAQUEL NUNES

Doutoranda do Programa de Doutorado em Direito da Universidade de Marí­lia – UNIMAR, Mestre em Direito pela Universidade de Marí­lia, Conciliadora formada pela Escola Paulista da Magistratura – EPM, Mediadora capacitada pelo Conselho Nacional de Justiça – CNJ, Instrutora de Oficina de Parentalidade, com formação pelo Conselho Nacional de Justiça, Chefe de Seção Judiciário do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania da Comarca de Marí­lia – CEJUSC e Docente da UNIMAR. Universidade de Marí­lia – UNIMAR.

PATRÍCIA NUNES

Psicanalista pela Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, Especialista em Psicoterapia Psicanalí­tica pela Fundação Eurí­pides Soares da Rocha e Núcleo de Psicanálise de Marí­lia e Região, com Aperfeiçoamento em Psicologia Hospitalar pela Faculdade de Medicina de Marí­lia.

Referências

BETTELHEIM, Bruno. A psicanálise dos contos de fadas. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1980.

BEZERRA, Paulo Cesar Santos. Acesso í Justiça: um problema ético-social no plano da realização do direito. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

BRASIL. Código de processo Civil. Lei nº 13.105, de 16 mar. 2015. Brasí­lia: Senado Federal. https://www2.senado.leg.br/bdsf/handle/id/507525. Acesso em: 01 ago. 2019.

BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Azevedo, André Gomma de (Org.). Manual de Mediação Judicial. 5. ed. Brasí­lia/DF: CNJ, 2015.

BRASIL. Conselho Nacional do Ministério Público. Diálogos e Mediação de Conflitos nas Escolas: guia prático para educadores. Brasí­lia, DF, 2014.

BRASIL. Constituição Federal (1988). Constituição da República Federativa do Brasil, Brasí­lia, DF. Disponí­vel em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 01 ago. 2019.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasí­lia, DF, 16 jul. 1990. Disponí­vel em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8069.htm#art266. Acesso em: 01 ago. 2019.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Edição atualizada até março de 2017. Disponí­vel em: http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/529732/lei_de_diretrizes_e_bases_1ed.pdf. Acesso em: 02 jul. 2019.

CABRAL, Álvaro; NICK, Eva. Dicionário técnico de psicologia. São Paulo: Cultrix Ltda, 1997.

CAPER, Robert. Tendo Mente Própria. Imago, 2002.

DUPRET, Leila. Cultura de paz e ações sócio-educativas: desafios para a escola contemporânea. Disponí­vel em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-85572002000100013. Acesso em: 22 jul. 2019.

ESPÍRITO SANTO, Ruy Cézar. Editor cientí­fico da Revista Interespe. Educação e poesia como caminho para a cura. Disponí­vel em: https://revistas.pucsp.br/interespe/article/view/28143. Acesso em: 01 ago. 2019.

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EM UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Polí­tica Nacional de Extensão Universitária. Manaus-AM, Maio de 2012. Disponí­vel em: https://www.ufmg.br/online/arquivos/anexos/PNEU.pdf. Acesso em: 02 jul. 2019.

MÉLEGA, Mariza P. Psicanálise de crianças: relatos í luz das teorias de Klein, Bion, Meltzer. Roma: Edizioni Universitarie Romane, 2017.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Edgar Morin; tradução Eloá Jacobina. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

MORIN, Edgar. Os setes saberes necessários í educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. Silva e Jeanne Sawaya. São Paulo: Cortez, 2000.

MOTTA, Elias de Oliveira. Direito Educacional e Educação no Século XXI: com comentários í nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasí­lia: Unesco, 1997.

NAÇÕES UNIDAS. Declaração e Programa de Ação sobre uma Cultura de Paz. A/RES/53/243. 06 out. 1999. Comitê Paulista para a Década da Cultura de Paz. Um Programa da Unesco 2001-2010. Disponí­vel em: http://www.comitepaz.org.br/dec_prog_1.htm. Acesso em: 01 ago. 2019.

NUNES, Antônio Carlos Ozório. Manual de Mediação: guia prático de conciliadores. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2016.

QUINODOZ, Jean-Michel. Ler Freud: guia de leitura da obra de S. Freud. Porto alegre: Artmed, 2007.

ROSENBERG, Marshall B. Comunicação Não-Violenta: técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais. Tradução Mário Vilela. São Paulo: Ágora, 2006.

SERVA, Fernanda Mesquita; DIAS Jefferson Aparecido. Responsabilidade Social nas Instituições de Ensino Superior: entre o biopoder e a biopolí­tica. Revista Argumentum. RA, eISSN 2359-6889, Marí­lia/SP, v. 17, pp. 413-433, jan.-dez. 2016.

SUBLIMAÇÃO NA PSICOLOGIA DE FREUD. Sublimação: Definição na Psicanálise Freudiana. Disponí­vel em: http://psicoativo.com/2016/01/sublimacao-na-psicologia-de-freud-psicanalise.html. Acesso em: 02 jul. 2019.

VASCONCELOS, Teresa. A Importância da Educação na Construção da Cidadania. Disponí­vel em: http://repositorio.esepf.pt/bitstream/20.500.11796/714/2/SeE12A_ImportanciaTeresa.pdf. Acesso em: 02 jul. 2019.

WINNICOTT, Donald Woods. A criança e seu mundo. 6. ed. (reimpr). Rio de Janeiro: LTC, 2014.

WINNICOTT, Donald Woods. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago, 1975.

Downloads

Publicado

2021-05-10

Como Citar

NETO, ELIAS MARQUES DE MEDEIROS; NUNES, JULIANA RAQUEL; NUNES, PATRÍCIA. IMPLANTANDO A CULTURA DA PACIFICAÇÃO NAS ESCOLAS: UMA ABORDAGEM CONSTITUCIONAL E INTERDISCIPLINAR. Revista Pensamento Jurídico, São Paulo, Brasil, v. 15, n. 1, 2021. Disponível em: https://ojs.unialfa.com.br/index.php/pensamentojuridico/article/view/501. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos