A PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO TEM ROSTO DE MULHER

Autores

  • CAROLINA GANDOLFO DAVANZO J. SIQUEIRA
  • JULIANA MARTELI FAIS FERIATO

Resumo

Ao longo da história, o papel da mulher na sociedade sofre modificações significativas. Este artigo visa analisar a precariedade que as mulheres estão sujeitas dentro do mercado de trabalho, abordando as dificuldades e conquistas femininas, por meio análise bibliográfica de autores e pesquisadores que trabalham sobre o tema. Hoje, já há uma presença significativa das mulheres em cargos e papeis cada vez mais variados dentro do mercado de trabalho, mas, a discriminação histórica da mulher apenas foi amenizada, uma vez que as condições em que a mulher se insere no mercado ainda são inferiores em relação às dos homens. Além disso, mesmo com sua emancipação profissional, a mulher, por vezes, é submetida a papéis ligados a ao gênero, sendo responsabilizada, quase que exclusivamente, as tarefas do lar. Assim, ainda há um longo caminho a ser percorrido pelas mulheres para que realmente haja igualdade de gênero dentro do mercado de trabalho.

Biografia do Autor

CAROLINA GANDOLFO DAVANZO J. SIQUEIRA

Mestranda do Curso de Ciências Jurí­dicas do Centro Universitario de Maringá (Unicesumar); Especialista em Direito Público pela Universidade Anhaguera (Uniderp); Advogada da Ordem dos advogados do Brasil – Seccional do Paraná.

JULIANA MARTELI FAIS FERIATO

Doutora e Mestre em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Docente e Vice Coordenadora do Programa de Pós-Graduação Stricto Senso do Centro Universitario de Maringá (Unicesumar); Pesquisadora do Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICETI).

Referências

ABOIM, Sofia. Do público e do privado: uma perspectiva de gênero sobre uma dicotomia moderna. Revista Estudos Feministas. Florianópolis, 2012.

AMARAL, Graziele Alves. Os Desafios da Inserção da Mulher do Mercado de Trabalho. Revista Itinerarius Reflectionis. Jataí­. v. 2. n. 13. 2012.

ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho?: ensaios sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. São Paulo: Cortez; Campinas: Universidade Estadual de campinas, 2005.

AYARZA, Susana. Mulheres e o mercado de trabalho os desafios da igualdade. Tendências de Consumo. 2018. Disponí­vel em: < https://www.thinkwithgoogle.com/intl/pt-br/tendencias-de-consumo/mulheres-e-o-mercado-de-trabalho-os-desafios-da-igualdade/ > Acessado aos: 21, ago. 2019.

BEAUVOIR, Simone. O segundo sexo: a experiência vivida. 9.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999b. v.2.

BEAUVOIR, Simone. O segundo sexo: fatos e mito. 10.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999a. v.1.

BITTENCOURT, S. R. V. A participação da mulher no mercado de trabalho e o cuidado dispensado aos filhos menores de sete anos, durante a ausência materna. 1980. 75f. Dissertação (Mestrado em Saúde Comunitária) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1980.

BRUSCHINI, Cristina. PUPPIN, Andrea B. Trabalho de Mulheres Executivas no Brasil no Final do Século XX. Cadernos de Pesquisa, v. 34, n. 121, p. 105-138, jan./abr. 2004.

CARLOTO, Cássia Maria. Gênero, reestruturação produtiva e trabalho feminino. Disponí­vel em: www.ssrevista.uel.br/c_v4n2_carlotto.htm Acesso em: 01, out. 2019.

CARRIERI, Alexandre P.; TEIXEIRA, Juliana C.; NASCIMENTO, Marcos C. R. Gênero e Trabalho: perspectiva, possibilidades e desafios no campo dos estudos organizacionais. Salvador: EDUFA, 2016.

COLLING, Ana Maria. Mulheres e a Ditadura Militar no Brasil. Núcleo de Documentação Histórica da UFPel. História em Revista. n. 10. 2004.

CORRÊA, A. M. H. O assédio moral na trajetória profissional de mulheres gerentes: evidências nas histórias de vida. 2004. 184f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Centro de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2004.

HIRATA, Helena. A nova divisão sexual do trabalho? Um olhar voltado para a empresa e a sociedade. São Paulo: Boitempo, 2002.

KANAN, Lilia Aparecida. Poder e Liderança de Mulheres nas Organizações de Trabalho. Revistões – Organizações e Sociedade. Salvador. Pag. 243/257. 2010. Disponí­vel em: < https://rigs.ufba.br/index.php/revistaoes/article/view/11104/8017> Acessado aos: 21, ago. 2019.

KHAN, Teresa. SHARPLES, Marion. Making trade work for gender equality. Gender and Development Network, julho 2017.

NASCIMENTO, Sara Diniz. Precarização do Trabalho Feminino: A Realidade das Mulheres no Mundo do Trabalho. Temporais (Revista da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social). Brasí­lia (DF), ano 14, n. 28, p. 39-56, jul./dez. 2014. Disponí­vel em: <http://periodicos.ufes.br/temporalis/article/view/6779/6145> Acessado aos:01, out. 2019.

NOGUEIRA, Claudia Mazzei. A feminização no mundo do trabalho: entre a emancipação e a precarização. Campinas: Autores Associados, 2004.

PERROT, Michelle. Mulheres públicas. Tradução de Roberto Leal Ferreira. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1998.

SUK, Julie. Gender Inequality and the infrastructure of Social Reproduction. Law and Political Economy. 2018.

Downloads

Publicado

2021-05-10

Como Citar

J. SIQUEIRA, CAROLINA GANDOLFO DAVANZO; FAIS FERIATO, JULIANA MARTELI. A PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO TEM ROSTO DE MULHER. Revista Pensamento Jurídico, São Paulo, Brasil, v. 15, n. 1, 2021. Disponível em: https://ojs.unialfa.com.br/index.php/pensamentojuridico/article/view/499. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos