Desenvolvimento Regional com Políticas Econômicas Estratégicas e Sustentáveis: Governos Municipais , Estaduais e Federal Integrado http://ojs.unialfa.com.br/index.php/desenvolvimentoregional <p><strong>ISSN:&nbsp;</strong>2676-0495</p> <p><strong>Resumo:</strong> Desenvolvimento Regional com Políticas Econômicas Estratégicas e Sustentáveis: Governos Municipais , Estaduais e Federal Integrado em formato exclusivamente eletrônico, é uma publicação semestral inserida no âmbito do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Regional do <strong>Centro Universitário Alves Faria - UNIALFA</strong>. A publicação resulta de uma iniciativa que procura atender a três objetivos básicos: aglutinar a vasta produção científica no campo da competitividade e do desenvolvimento regional do Brasil, encontrada nas universidades do país; estimular o debate acadêmico sobre as questões regionais, no âmbito do crescimento econômico e do desenvolvimento, em suas diferentes dimensões, valorizando, sobretudo, os diálogos interdisciplinares; e contribuir, de forma decisiva, para a crítica e proposição de modelos de intervenção, pública ou privada, de natureza sustentável. Seguindo a característica do Mestrado Profissional em Desenvolvimento Regional, em termos de sua multidisciplinariedade, abre espaços para contribuições de todas as Áreas de Conhecimento como por exemplo Economia, Saúde, Engenharias, Arquitetura, Psicologia, História, Ciências Ambientais, permitindo um diálogo amplo e aberto sobre o importante tema. Encontra-se disponível para colaboradores nacionais e estrangeiros e possui um conselho editorial composto por Professores destacados em suas respectivas Áreas do Saber, oriundos de vários Estados brasileiros, além de Consultores Internacionais</p> pt-BR Desenvolvimento Regional com Políticas Econômicas Estratégicas e Sustentáveis: Governos Municipais , Estaduais e Federal Integrado 2676-0495 Editorial http://ojs.unialfa.com.br/index.php/desenvolvimentoregional/article/view/102 George Copyright (c) 2021 Desenvolvimento Regional com Políticas Econômicas Estratégicas e Sustentáveis: Governos Municipais , Estaduais e Federal Integrado 2021-02-01 2021-02-01 1 2 A EVOLUÇÃO DO PRODUTO INTERNO BRUTO DE MATO GROSSO DO SUL NO PERÍODO DE 2010 A 2017 http://ojs.unialfa.com.br/index.php/desenvolvimentoregional/article/view/94 <p>O objetivo deste trabalho foi analisar o perfil do crescimento econômico de Mato Grosso do Sul, a partir da variação do Produto Interno Bruto (PIB) do estado, entre os anos de 2010 e 2017. A análise se deu por meio da revisão bibliográfica do relatório divulgado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar - SEMAGRO, no ano de 2019 e análise exploratória de dados quantitativos referentes ao PIB de Mato Grosso do Sul medido pelo IBGE.&nbsp; Os resultados demonstraram que a economia sul-mato-grossense tem forte atividade ligada ao setor de serviços, e em menor proporção às atividades industriais, e esses dois segmentos econômicos são dependentes da agricultura, da pecuária e do extrativismo mineral. A análise ainda revelou que a partir do período de expansão monetária e choque de oferta de crédito após a crise financeira mundial, o estado apresenta resultados positivos em 2011, 2012 e 2013, porém não se sustenta ao longo do tempo, pois os custos de expansão monetárias são altas, resultando em elevadas taxas de juros e elevadas taxas de inflação.&nbsp; O PIB de Mato Grosso do Sul cresceu ao longo do tempo analisado, e sua taxa de variação foi menor nos anos 2014 com 2,62%, 2015 com -0,27% e 2016 com -2,63%, e maior nos anos 2011 com 3,45%, 2012 com 6%, 2013 com a maior taxa da série analisada, 6,6%, e 2017 com 4,88%.</p> Geovani Diniz Cavalieri Michel Constantino Dany Rafael Fonseca Mendes Copyright (c) 2020 Desenvolvimento Regional com Políticas Econômicas Estratégicas e Sustentáveis: Governos Municipais , Estaduais e Federal Integrado 2020-12-07 2020-12-07 1 2 INSTITUIÇÕES E COMPETITIVIDADE NO COMÉRCIO INTERNACIONAL DE DERIVADOS DO COCO http://ojs.unialfa.com.br/index.php/desenvolvimentoregional/article/view/95 <p>O agronegócio do coco passou por um processo de reestruturação atribuído ao aumento do consumo mundial de derivados do coco. Apesar de ser o quinto maior produtor, o Brasil ainda não apresenta a cocoicultura como uma atividade consolidada, importando grande volume dos derivados. Com isso, o objetivo deste artigo é comparar e analisar o desempenho das exportações de coco, coco ralado e óleo de coco do Brasil no período de 1980 a 2017, frente aos principais países produtores. Como abordagem teórica, utiliza o conceito de ambiente institucional como um dos direcionadores de competitividade em cadeias agroindustriais. O procedimento metodológico consiste no cálculo de dois indicadores de competitividade no comércio internacional, o Índice de Posição Relativa de Mercado e o Índice de Vantagem Comparativa Revelada. Os resultados mostraram que o Brasil não é competitivo no comércio internacional dos três produtos analisados. As Filipinas e a Indonésia são os países mais competitivos, liderando as exportações mundiais. Concluiu-se que as medidas de proteção a cocoicultura, já adotadas no Brasil, não foram suficientes para elevar os níveis de competitividade.</p> Kellyane Pereira dos Anjos Gonçalves Matheus dos Santos Vieira Silva Luiz Fernando de Oriani e Paulillo André Maia Gomes Lages Copyright (c) 2020 Desenvolvimento Regional com Políticas Econômicas Estratégicas e Sustentáveis: Governos Municipais , Estaduais e Federal Integrado 2020-12-12 2020-12-12 1 2 POLÍTICAS NACIONAIS DE DESENVOLVIMENTO E COMÉRCIO INTERNACIONAL: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE O MERCOSUL E NAFTA http://ojs.unialfa.com.br/index.php/desenvolvimentoregional/article/view/96 <p>A forma como os países se relaciona para as trocas comerciais e as políticas voltadas ao desenvolvimento nacional têm uma relação estreita. As estratégias domésticas definidas por um governo poderão em muito influenciar a forma como ele se relacionará internacionalmente, conforme a Teoria de Jogos de Dois Níveis de Putnam (1988). Somando-se a isso, há uma tendência global para a criação de blocos de integração regional. Esses blocos visam, além de questões político jurídicas, alcançar progressos no plano econômico e social através do comércio. Diante desses fatos apresentados, o presente trabalho tem como objetivo analisar o fato concreto da Teoria de Jogos de Dois Níveis de Putnam (1988) e correlacioná-la com a forma como os países a serem analisados se relacionam comercialmente com outras nações dentro de um bloco regional, a partir de sua visão e sua estratégia nacional de desenvolvimento. Para um maior entendimento, foram analisados países em blocos com características diferentes, um com um conceito mais liberalizante, enquanto outro mais protecionista. Para atingir esse objetivo, foi realizada uma pesquisa bibliográfica a fim de se compreender o contexto histórico e as políticas desenvolvidas por esses países até o momento. Também, foi realizada uma investigação de documentos oficiais para analisar as diretrizes dos blocos. E, por fim, dados numéricos de plataformas de comércio exterior e de perfis econômicos foram analisados e gerados dados estatísticos.</p> Adrilane Batista Oliveira Ricardo Wahrendorff Caldas Mateus Santos Mota Copyright (c) 2020-12-12 2020-12-12 1 2 A ECONOMIA BRASILEIRA NO PERÍODO DESENVOLVIMENTISTA: MILAGRES E DESASTRES http://ojs.unialfa.com.br/index.php/desenvolvimentoregional/article/view/97 <p>No período entre 2014 e 2016 a economia brasileira passou por uma das maiores crises de sua história, talvez a maior. Uma crise de tamanha magnitude dificilmente pode ser explicada pelo comportamento de algumas variáveis em um curto espaço de tempo, não que erros na condução da política econômica não tenham contribuído para a crise, mas para entender o que aconteceu na segunda década do século XXI é necessário voltar aos meados do século XX e entender como foi a dinâmica de crescimento da economia brasileira naquele período, como tal dinâmica se esgotou e quais foram as respostas imediatas ao esgotamento desta dinâmica. O objetivo desse artigo foi fazer um painel geral de um longo período que levou a economia brasileira ao estado que se encontrava no começo da década de 1990 quando começa a implementação da agenda de reformas. A história contada nesse artigo foi uma história de instabilidade política que levou a um regime de exceção que durou cerca de vinte anos e de uma trajetória de crescimento econômico que se tornou um milagre e terminou em um desastre. Os desafios de ajustar o lado fiscal, controlar a inflação e retomar o crescimento que hoje se apresentam à economia brasileira são reflexos do que fizemos ou deixamos de fazer naquela época.</p> Roberto Ellery Jr Antônio Nascimento Júnior Copyright (c) 2021 Desenvolvimento Regional com Políticas Econômicas Estratégicas e Sustentáveis: Governos Municipais , Estaduais e Federal Integrado 2021-01-08 2021-01-08 1 2 A LOGÍSTICA REVERSA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO AMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE CERES-GO, BRASIL http://ojs.unialfa.com.br/index.php/desenvolvimentoregional/article/view/100 <p>Este artigo tem por objetivo avaliar dentro dos aspectos técnicos, estruturais e operacionais como o município de Ceres-Goiás, vem tratando a coleta e seleção do lixo eletroeletrônico, e como tem se movimentado no intuito de se adequar à legislação, bem como, compreender o nível de conhecimento da população acerca de suas responsabilidades. A pesquisa se dá a partir da aplicação de questionários sobre lixo eletroeletrônico, aos estudantes de escolas públicas localizadas no município, bem como, entrevistar gestores municipais, mais precisamente da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Saneamento (SEMMAS). Os resultados demonstraram, que tanto os gestores como os alunos, não foram capazes de definir na prática o melhor descarte e o melhor destino para o lixo eletroeletrônico, e nem de que forma a coleta, seleção, transporte e destinação final deveria acontecer, o que sugere uma grande contradição entre o pensar e o fazer.</p> Paulo Afonso Bento Alcido Elenor Wander Copyright (c) 2021 Desenvolvimento Regional com Políticas Econômicas Estratégicas e Sustentáveis: Governos Municipais , Estaduais e Federal Integrado 2021-01-08 2021-01-08 1 2 CAUSALIDADE ENTRE TAXA DE CÂMBIO E O PREÇO DE COMMODITIES http://ojs.unialfa.com.br/index.php/desenvolvimentoregional/article/view/101 <p>A presente monografia tem como objetivo analisar se existe uma relação de causalidade bidirecional entre à taxa de câmbio e o preço de certas <em>commodities</em>, ao longo do tempo proposto. Os países selecionados para o estudo foram Austrália, África do Sul, Brasil, Noruega e Russia. Foram selecionadas as taxas de câmbio, em relação ao dólar e as séries de preços das três principais <em>commodities</em> exportadas por cada país da amostra como variáveis instrumentais. O instrumental econométrico utilizado nas séries foi o teste de causalidade de Granger e o teste de raiz unitária, também utilizo índices de preços de <em>commodities</em> referenciados na literatura que são representativos das principais <em>commodities</em> exportadas pelos países da amostra.</p> Tito Belchior Silva Moreira Éliton de Souza Araújo Filho Copyright (c) 2021 Desenvolvimento Regional com Políticas Econômicas Estratégicas e Sustentáveis: Governos Municipais , Estaduais e Federal Integrado 2021-01-08 2021-01-08 1 2